Filtro
Restabelecer
Ordenar porRelevância
vegetarianvegetarian
Restabelecer
  • Ingredientes
  • Dietas
  • Alergias
  • Nutrição
  • Técnicas
  • Cozinhas
  • Tempo
Sem


O que a Rússia está fazendo na Síria e por que

9) A solidão

  1. O presidente sírio Bashar al-Assad matou cerca de 80.000 de seus cidadãos e levou outros 1,7 milhões para os países vizinhos. Sem surpresa, ele tem poucos amigos estrangeiros hoje em dia. Mas dois tiveram um papel fundamental em sua sobrevivência: Irã e Rússia.

  2. O Irã está vinculado a Assad por laços religiosos e estratégicos. Os alauítas, seita minoritária muçulmana que domina o regime de Assad, são uma ramificação do islamismo xiita, a religião estatal do Irã. A Síria tem maioria sunita, mas o Irã vê uma Síria administrada por alauitas como um contrapeso às monarquias sunitas do Golfo Pérsico. A Síria de Assad também é o canal do Irã para abastecer o Hezbollah, a organização xiita de partido político e paramilitar que é a potência na política libanesa. O Hezbollah, aliado do Irã e inimigo de Israel, agora está lutando ao lado das forças de Assad.

  3. O papel da Rússia, o segundo salvador de Assad, não pode ser explicado pelo parentesco religioso ou ideológico. No entanto, o apoio russo foi essencial para a sobrevivência de Assad. (Embora o apoio que ele retenha entre as outras minorias não-sunitas da Síria, temeroso pelo futuro deles, caso os islâmicos sunitas radicais da insurgência anti-Assad prevaleçam, às vezes é obscurecido nos relatórios da imprensa.) Moscou (junto com a China) anulou a resolução do Conselho de Segurança visava condenar Assad ou impor sanções ao seu regime.

  4. A Rússia insistiu que as monarquias do Golfo e outros estados que ajudam os insurgentes anti-Assad estão intervindo em uma guerra civil que viola os direitos soberanos da Síria. Essa pode ser uma opinião minoritária, mas Moscou fez o caso de maneira consistente e vigorosa, insistindo que a única esperança de paz na Síria é um acordo político.

  5. Enquanto os Estados Unidos acreditavam que Assad estava condenado e logo cairia, não prestou muita atenção à linha russa. Mas agora, o governo Obama, tendo testemunhado o poder de permanência de Assad e as divisões da oposição síria, está trabalhando com a Rússia para convocar uma conferência de paz no final deste verão. O objetivo é conseguir um acordo negociado entre Assad e seus inimigos.

  6. Mesmo que este conclave se reúna, é improvável que se chegue a um acordo que termine o massacre na Síria. Mas o que é significativo é que a posição russa, uma vez marginalizada, ganhou terreno.

  7. Isso não é tudo. A Rússia armou Assad. E relatórios recentes indicam que caças russos MiG-29 e mísseis de defesa aérea S-300 podem estar indo para a Síria. Este é um grande passo de Moscou. Ambos os armamentos tornarão mais perigoso para a OTAN, assumindo que ela atue sem autorização da ONU, impor uma zona de exclusão aérea sobre a Síria. Israel, que já atingiu a Síria para conter o fluxo de armas iranianas ao Hezbollah, também terá que contar com uma nova realidade.

  8. Os russos ainda não entregaram os S-300, ou mais MiG-29 para adicionar aos 40-64 que a Síria já possui. Ainda assim, Vladimir Putin não se deixou abalar com os esforços israelenses, americanos e europeus para convencê-lo a não enviar os S-300, que a Síria nunca teve. O ministro da Defesa de Israel, Moshe Ya'alon, diz que "saberá o que fazer" se os mísseis chegarem. A Rússia alertou que não tolerará a perda de vidas russas resultante dos esforços para interromper o fornecimento de armas à Síria. Há uma crise em andamento.

  9. Então, por que a Rússia está empenhada em apoiar um regime isolado e ensopado de sangue? As explicações usuais são que a Síria compra muitas armas russas e que o porto sírio de Tartus é uma "base" importante da frota mediterrânea da Rússia.

  10. Ambas as teorias são simplistas.

  11. Sim, a Rússia vende muitas armas - US $ 15 bilhões em 2012. Mas a Síria não está entre seus grandes clientes; China, Índia, Argélia e Vietnã. De fato, Moscou teve que reagendar a dívida que a Síria acumulou por causa das compras de armas que se estendiam aos anos soviéticos.

  12. As atuais entregas de armas russas a Assad não são enormes e provavelmente são financiadas pelo Irã ou pelo crédito russo. Além disso, como a Síria será uma ruína econômica, não importa de que lado vença a guerra, ela não assinará grandes acordos com a Rússia tão cedo - de fato, nenhuma se os oponentes de Assad prevalecerem.

  13. Tartus faz parte da equação para a Rússia? Sim. É um elemento chave? Não. Então, o que explica a tenacidade do russo na Síria?



Donate - BNB: bnb16ghhqcjctncdczjpawnl36jduaddx5l4eysm5c