Filtro
Restabelecer
Ordenar porRelevância
vegetarianvegetarian
Restabelecer
  • Ingredientes
  • Dietas
  • Alergias
  • Nutrição
  • Técnicas
  • Cozinhas
  • Tempo
Sem


A busca global por educação: a América Latina está online

Montagem

  1. Gabriel Sanchez Zinny está focado na educação e na melhoria da qualidade da educação para atender à economia do século XXI. Zinny é o fundador e presidente da Kuepa.com, uma startup de aprendizado misto que oferece educação continuada para adultos que não possuem as habilidades necessárias para trabalhar no mercado de trabalho atual. Ele também é o autor do Educacion 3.0. A luta pelo talento na América Latina, na qual ele aborda a necessidade crítica de transformação educacional, tanto nos Estados Unidos quanto na América Latina, dada a natureza instável da economia global. Na minha entrevista com Zinny na Pesquisa Global pela Educação, ele discute os desafios enfrentados na América Latina, como empresas de ensino misto como a Kuepa ajudarão e o que o futuro reserva para os modelos tradicionais versus os mais novos do ensino superior.

  2. Como você argumentou, a educação é a chave para o sucesso econômico, mas a demanda está excedendo a oferta, principalmente nas economias emergentes, como a América Latina. Como isso pode ser mudado?

  3. Dados das pesquisas sobre empresas do Banco Mundial mostram que o setor privado da América Latina luta mais do que em qualquer outra região para encontrar o talento certo. Mais de 35% das empresas latino-americanas dizem que uma força de trabalho inadequadamente treinada é o principal impedimento à expansão, contra apenas 22% na África Subsaariana e 17% no Sul da Ásia.

  4. Os governos locais vêm atacando o problema há algum tempo, com pouco a mostrar. Um dos mais antigos, o Serviço Nacional de Aprendizagem da Colômbia (SENA), foi formado em 1957 e um dos mais recentes, o programa Bolsa Escola do Brasil, está em vigor desde 2001. Argentina, México e Chile lançaram esforços semelhantes, mas mesmo com grandes orçamentos e burocracias expansivas, a mesma baixa escolaridade persiste.

  5. O problema é mais complexo do que muitos imaginam. Apenas ingressar na força de trabalho muitas vezes não é mais suficiente para começar a desenvolver habilidades, especialmente em setores em que a automação está substituindo o trabalho humano. Nessas indústrias geralmente de alta tecnologia, as habilidades necessárias são muito mais sofisticadas, exigindo habilidades de resolução criativa de problemas de ordem superior, além de conhecimento técnico.

  6. Ao mesmo tempo, enquanto os retornos a empregos altamente qualificados estão aumentando, esses benefícios nem sempre são claros para os indivíduos que tomam decisões educacionais. Aqui está um lugar em que o governo pode desempenhar um papel: fornecer informações precisas, transparentes e de fácil acesso sobre quais carreiras são mais procuradas e quais habilidades devem ser adquiridas para seguir essa trajetória.

  7. O ambiente regulatório é outro desafio. A falta de regulamentação clara significa que pode ser impossível diferenciar instituições de qualidade dos fraudulentos. Ao mesmo tempo, escolas e programas bem-sucedidos acham difícil ter sucesso e expandir, dados os requisitos menos transparentes envolvidos.

  8. Os governos devem ser capazes de avaliar efetivamente a qualidade das novas instituições de ensino e reprimir as que estão falhando. Os programas do governo estão posicionados de maneira única para fornecer informações e supervisão objetivas, além de fornecer aos desempregados de longa duração treinamento de habilidades que os levem de volta a um local produtivo na força de trabalho.

  9. Como estão os MOOCs (cursos online abertos e massivos) e sites como o seu próprio kuepa.com, impactando o cenário global da educação?



Donate - BNB: bnb16ghhqcjctncdczjpawnl36jduaddx5l4eysm5c